Progama Smiles não decola com público Classe A

Guilherme  Felipe da Silva

Acredito que nem todo mundo já ouviu falar sobre o programa de fidelidade Smiles. Dentre alguns sistemas de benefícios do gênero, que procuram afiliar clientes a partir de inúmeras vantagens utilizando cartões de crédito, acessando e se cadastrando em sites, ou até viajando, o Smiles se destaca pela terceira opção. A grande proposta do programa é que seus clientes possam acumular pontos a fim de serem trocados em Milhas Aéreas, principalmente. No entanto, nem todo mundo conhece a empresa.

Apesar de que, entre 2016 e 2017, o programa, que já tem quatro anos de vida, tentou ampliar seus horizontes anunciando suas vantagens na televisão, em um comercial engraçadinho e pouco objetivo. Pelo jeito, aquela parece ter sido a última tentativa, pois dificilmente se vê banners de anúncio em sites variados ou do gênero, como também é sentida a ausência de seus comerciais nos “famosos” cinco segundos antes de um vídeo ser reproduzido no youtube.

Com promoções que oferecem Milhas Aéreas em dobro a cada troca ou transação, horas premiadas, em que você pode ganhar milhagem e prêmios, além de períodos que as operações de pontos podem gerar até 70% a mais que o transacionado, o programa parece ter uma espécie de “crise de identidade”. Os benefícios até não parecem ruins, mas é difícil saber para que eles realmente servem. Somente para Milhas Aéreas ou para lojas de eletrodomésticos e eletroeletrônicos também? Fica difícil para seus futuros clientes entenderem.

Esses tipos de sistemas têm que ser fáceis de entender, pois há dois tipos de consumidores: os de alto e baixo poder aquisitivo. O de alto poder aquisitivo viaja bastante, mas para que ele se integre a um programa de trocas de pontos e milhagens, tudo deve ser simples, de modo que ele não perca tempo na frente de um computador ou Smartphone tentando usar seus pontos. Já os clientes de menor poder de compra, em geral são mais “desconfiados”, principalmente em transações pela internet, ou seja, tem que estar tudo bem explicado, mesmo que de uma forma um pouco mais difícil de ser encontrada.

Portanto, mesmo sabendo que são “apenas” quatro anos no mercado, o programa de fidelidade Smiles ainda está com dificuldades em entender o que deve fazer para ganhar esse mercado. Apesar de admirável, nem as últimas doações feitas pela empresa a instituições de ajuda a jovens e adolescentes parecem ser capazes de ganhar a confiança do público, capaz de fazer a melhor propaganda que a empresa possa ter, o bom e popular marketing Boca-a-Boca.